Arquivo da tag: tradução

Fidelidade

Traduzir também é criar.

Discordo totalmente das Escolas que dizem que o tradutor deve permanecer na penumbra, oculto pelo nome do autor e identificado em letras pequenas em algum lugar do livro. Ele pode, sim, deixar sua marca, simplesmente porque é obrigado a fazer escolhas.

Não estou dizendo que o tradutor pode pegar um original e alterar a seu bel-prazer. Isso seria desrespeito com o autor e uma deturpação de seu trabalho.

Mas a força criadora da tradução está justamente nas escolhas que é preciso fazer.  Nas traduções literárias, e até mesmo em legendas, fica mais fácil perceber essa criatura misteriosa no texto, o tradutor. Existe uma co-criação (no sentido de ser colaborativa e conjunta).

Acho que o bom tradutor consegue ser “visto” em seu trabalho. Na Faculdade de Letras, na Universidade de São Paulo, tive o privilégio de ser aluna de tradutores que respeito muito. Entre eles, estava João Azenha Jr. Ele é o responsável pelo texto em português d’O Mundo de Sofia de Jostein Gaarder. Quando li o texto após conhecer Azenha, comecei a sorrir. Porque era inegável sua presença ali. Não eram exatamente apenas expressões ou palavras que ele costumava usar. Era a forma de estruturar as frases, o zelo e o capricho.

Também já vi trabalhos que refletiam o tradutor – mas no pior dos sentidos. Textos mal escritos, ou sem revisão, com erros de entendimento da língua estrangeira. Os problemas são inúmeros, e todos representavam um profissional descuidado, despreparado e que estava lá simplesmente para fazer o serviço. Ou seja, servir de filtro humano para duas línguas diversas.

Respeito muito o original. Não usarei gírias em um artigo científico, claro. Porém, a tradução é ainda feita por seres humanos (nem venham me falar do Trados e companhia rs, porque existe uma pessoa por trás organizando e revisando as frases). E tudo que tem toque humano é criativo e vivo. Por isso, não acredito na tese de “tradução fiel” que algumas vertentes pregam. Não há fidelidade completa quando estamos lidando com trabalho feito por profissionais de carne e osso.

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Tradução

Mudança de ares

Sim! Mudei o nome do blog!

Este é o antigo Tentativas de Tradução.

Faz alguns meses que o nome do blog começou a me incomodar profundamente. Ele limitava a temática de meus posts e eu queria escrever sobre literatura e outras coisas que me interessam.

Hoje, resolvi tomar coragem: abri um novo blog e importei o conteúdo do Tentativas. E aqui estamos.

Agora uma explicação para o nome.

Como escolher um nome mais inspirado e abrangente? Entrei em um daqueles geradores automáticos de nome para blogs (Weblog Name Generator, muito simples e divertido, por sinal) e li “Silence Community”. Achei o nome forte, mas ainda não era o que eu queria. Clicando um pouco mais, encontrei Black Reports. Juntei um com o outro e deu nisto.

E por que silence (silêncio, em inglês)?

Apesar de minha mente estar o tempo todo criando e trabalhando, meu trabalho é feito no silêncio. Por isso, este blog são relatórios desses momentos de silêncio, em que penso em literatura, música, tradução e revisão.

8 Comentários

Arquivado em Explicação